Censura ao Wikileaks no Twitter

24 de dezembro de 2010
Nando Pax

Já faz algum tempo que venho observando os Trending Topics. Diversas vezes fiquei intrigado com tópicos que desapareciam após atingirem o topo. (Como por exemplo a tag #xuxapedofilia).

O Twitter negou oficialmente a censura as tags #wikileaks e #cablegate, alegando que os termos já haviam entrado nos Trending Topics anteriormente e que tornaram-se um “ruído de fundo”, como explicado nesse artigo.

Em meu bate boca com o Diretor de Comunicação do Twitter relatado pela Folha, fiquei sem resposta quando questionei o por que isso não ocorreu com o CALA BOCA GALVÃO e comecei a tirar minhas próprias conclusões.

Fiquei indignado e refleti o quão falho é o “novo algorítmo”. Quer dizer que se algo muito grande acontecer, como o Wikileaks, o inteligentíssimo algorítmo dos Trends Topics, dirá:

O barulho está alto, vamos esconder isso aqui.
Resumidamente, tudo culpa do Justin Bieber.

Piadinhas a parte, a explicação até faria sentido, mas precisamos lembrar que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, está sendo perseguido pelo governo americano, sob uma falsa acusação.

POR BAIXO DO PANO
Apesar de todo o discurso de bom moço do Twitter e do blá blá blá do algorítmo, eu ainda acredito na censura e na influência da Casa Branca sobre a rede social.

O próprio fundador do Twitter, Evan Willians, esteve na Casa Branca com sua esposa em Março de 2009 e ele mesmo tuitou que foi lá para escutar.

Se outras empresas como a Visa, MasterCard e PayPal sucumbiram a pressão do Governo Americano, por que o Twitter não sucumbiria?

ANALISANDO OS FATOS
Primeiro que é no mínimo estranho que o “Efeito Bieber” tenha provocado as mudanças no algorítmo juntamente com o lançamento dos Promoted Tweets, pois em março Evan admitia que as pessoas amavam o garoto e que os tópicos não eram editados.

Por fim, um conhecido meu com fontes dentro do Twitter, relatou a manipulação nos Trending Topics, principalmente para evitar que campanhas, que não sejam promovidas pelo próprio Twitter (Promoted), não apareçam na lista.

Até concordo que amor, ódio e todas as outras “palavras de ligação” não estejam na lista, mas manipulação política é demais.

O site Twirus proporciona um Trending Topics aparentemente sem manipulação.

Queremos um Twitter livre e um algorítmo capaz de diferenciar o barulho da revolução. Este é o meu protesto à favor da liberdade de expressão.

Até a próxima luta
@nandopax