Única Saída (Sinal de Vida)

Composição de minha autoria escrita em 2007, gravada aqui em casa no início de 2014. Interpretada por Humberto Chelotti.

// LETRA

Sem brigas,
Hoje estou tão bem
Pra falar dos outros,
Nem vem….
Mas se quer fique comigo
Ou me deixe de lado
Melhor viver isolado,
Do que mal acompanhado

Em momentos que a vida
Dá sinal de vida
O amor é a única saída

Sem grana,
Levo uma vida barata
Nada de coisa cara,
Nem roupa de marca
E quando limpo a casa,
Ouvindo música alta
É pra sentir minha falta,
É pra sentir minha falta…

Em momentos que a vida
Dá sinal de vida
O amor é a única saída

Apenas faça o que eu digo,
Não fale o que eu faço
Por que eu me embaraço
Quando sou observado

Eu quase nunca perco o controle
Você me faz perder
Eu pego fogo fico louco
Não quero mais te ter
Eu faço tudo e você reclama
O que mais posso fazer?

Em momentos que a vida
Dá sinal de vida
O amor é a única saída

// FICHA TÉCNICA
Voz por Humberto Chelotti
Violão e Composição por Fernando Motolese twitter.com/nandopax

Tema da Torcida Brasileira na Globo

27 de junho de 2014
Nando Pax

Quando uma coisa tem que acontecer, acontece… Acreditem!

Foi assim com essa entrevista. Tive que ir para Campo Grande fazer algumas compras e a Van parou fora do ponto, pois naquele dia faria um caminho diferente. Então tive que andar quatro quarteirões a pé para chegar ao meu destino. No meio deste caminho, dei de cara com um repórter da TV Globo e rapidamente lhe dei o CD promocional com meu contato.

No dia seguinte, me ligaram e alguns dias depois gravamos a entrevista abaixo que foi ao ar na Rede Globo do Mato Grosso do Sul em 27/06/2014 e publicado também no G1.

Agradecimento especial a Reginaldo Paredes do Estúdio HomeMix, onde foi gravada a entrevista!

Veja também o “Release do Tema da Torcida Brasileira.

Cala Boca Galvão, Bilu e ETs no ‘Não Fale Com o Motorista’

20 de junho de 2014
Nando Pax

Aí está a entrevista que dei para o Programa Não Fale com o Motorista do blog Jacaré Banguela de Rodrigo Fernandes.

Conheci Rodrigo no Café com Blogueiros e sempre que nos encontramos nos eventos por ai, tento passar um pouco da “consciência cósmica”, pois acho muito importante fazer esse trabalho com os formadores de opinião.

Agradeço muito pelo espaço e espero que possamos fazer uma segunda edição, em breve!

Muita gente me achou maluco e tal, mas não ligo, pra mim é uma honra compartilhar este título com as grandes mentes da humanidade. Busco pela verdade e os que quiserem me critiquem por isso, mas para mim está muito claro que os teóricos dos “Astronautas Antigos“, como Erich Von Däniken, estão certos.

Na entrevista, acabei me equivocando sobre o retorno nos Anunnakis e disse que a data de retorno segundo Isaac Newton, seria 3135 mas o correto é 2160. A informação pode ser verificada no vídeo abaixo, onde em uma palestra do Zecharia Sitchin, revela a informação, precisamente em 1h:40m:05s.

Recomendo muito que leiam o livro 12º Planeta de Zacharias Sittich e que assistam, ao menos esta parte do vídeo, onde ele fala sobre os cálculos de Isaac Newton.

Sobre o ET Bilu, para complementar o que disse, deixo o vídeo abaixo encontrado ao meio do vídeo dos bastidores da entrevista concedida a TV Record, onde mostra claramente que a faixa da cara do suposto ET cai, sendo este o verdadeiro motivo do contato com a criatura não ter ocorrido.

E pra quem ficou boiando sobre o Cala Boca Galvão, trata-se de um vídeo em inglês que fiz que bombou na internet em 2010, muito bem explicado por Tiago Leifert no Central da Copa.

Bom é isso…

Um grande abraço!
Nando Pax

Tema da Torcida Brasileira

11 de junho de 2014
Nando Pax

Confira o Tema da Torcida Brasileira – Vai Brasil Vamos Lá, composição de minha autoria que já teve até o aval do Maestro Eduardo Souto, compositor do Tema da Vitória do Ayrton Senna, que a considerou como “O Tema da Torcida Brasileira para a Copa” e afirmou “tem tudo para emplacar”.

Assista o vídeo-clipe:

Release
O Tema da Torcida Brasileira – VAI BRASIL VAMOS LÁ! é uma produção independente com apoio da Produtora Produlz. A gravação foi realizada no Estúdio Toca do Bandido, um dos melhores estúdios do Rio de Janeiro reunindo um time de primeira linha: Fabrizio Iorio (ex-Som da Rua) na Produção Musical e teclados, Rodrigo Santos (Barão Vermelho) na voz, Patrick Laplan no baixo e bateria (ex- Los Hermanos e Biquini Cavadão) e Pedro Nogueira na guitarra (ex – Rodox).

A letra é uma homenagem ao povo brasileiro e as nossas Seleções Brasileiras de todas as modalidades esportivas. Não tem haver com a Copa diretamente, mas sim, com o amor ao nosso país, com nossa gente alegre e acolhedora, capaz de superar qualquer obstáculo. Um time vitorioso também depende de sua torcida e nada melhor do que uma torcida consciente dos problemas sociais, para que o Brasil seja um exemplo aos outros países. Na hora de protestar, vamos protestar, mas na hora de torcer, vamos torcer pelo Brasil.

Curtiu o som? Encontre aqui:
Rádio Uol – http://bit.ly/VaiBrasil-RadioUol
Spotify – http://bit.ly/VailBrasil-Spotify
iTunes – http://bit.ly/VaiBrasil-iTunes
GrooveShark – http://bit.ly/VailBrasil-GrooveShark
Deezer – http://bit.ly/VaiBrasil-Deezer
Rdio – http://bit.ly/VaiBrasil-Rdio
Amazon MP3 – http://bit.ly/VaiBrasil-Amazon


FICHA TÉCNICA

Produção do áudio
Produção Executiva por Produtora Produlz
Produção Musical e Mixagem por Fabrizio Iorio
Gravado no Estúdio Toca do Bandido (Rio de Janeiro – RJ)
Gravação de voz no Estudio Kabrum (Engenheiros: Bruno Araujo e Kadu Menezes)
Masterização por Chris Hanzsek (Seatle – EUA)
Selo: Sociedade Artística Não Monetária

Músicos
Voz por Rodrigo Santos
Teclados por Fabrizio Iorio
Bateria e contra-baixo por Patrick Laplan
Guitarra por Pedro Nogueira
Back-vocal por Glauce Leandres
Letra e Melodia – Composição por Nando Pax

Produção do Vídeo
Oger Sepol Produções
Direção e roteiro: Diego Lopes e Claudio Bitencourt
Produção Executiva: Diego Lopes
Produção: Tiago Campetti, Tania Silva, Giselle Ritzmann Loures
Direção de fotografia: Claudio Bitencourt
Edição: Nyck Maftum
Finalização: Claudio Bitencourt e Nyck Maftum
Op. de steadycam: Alex Santos
Op. drone: Cleverson Zampieri

Apoio:
Ilex Cinema
Wg7BR

Código ISRC: BRPZD1400005

I need you (My Darling)

11 de abril de 2014
Nando Pax

Ai está uma das minhas composições preferidas. Mais uma parceria com os amigos Vagner Silvestre, Vlademir Silvestre, Humberto Chelotti e Mishell Oliveira.

Com produção musical de André Rafael, voz de Humberto Chelotti e um elenco de primeira linha. Gravada junto com o Hino da Reforma Agrária – Majestoso Sem Terra, foi uma das produções mais marcantes da minha vida.

Escute no SoundCloud:

FICHA TÉCNICA
Letra por Nando Pax, Humberto Chelotti, Vagner Silvestre, Valdemir Silvestre e Mishell Oliveira

Produção Executiva pela Produtora Produlz.com / Fernando Motolese
Produção Musical por André Rafael
Voz por Humberto Chelotti
Guitarra por Cristiano Crochemore
Rodhes por Fabrizio Iorio
Contra-Baixo por Marcelo Linhares
Bateria por Glaucio Ayala
Sax Tenor por Josué Lopes
Trumpete por Jessé Sadoc
Percussão Matheus Braz
Back vocal Nicole Ritta

Gravado e Mixado por Guilherme Tettamanti no Studio 94
Masterizado no Incrível Mundo por Enrico de Paoli

——————————-

I NEED YOU

Queria conquistar alguém para dormir, pra quando acordar, vê-la sorrir
Não é fácil, eu estranho, no entanto, não reclamo…
Gosto quando lembro, como nós nos conhecemos.
Perdi a hora, sai correndo… fui demitido do emprego!
Solto na braquiária a esmo procurei, procurei, e te encontrei

4X I need you my darling

Tinha tinta no cabelo, Nietzsche tava lendo
Puxei papo sobre o tempo, mas não deu bola mesmo
Flertei discretamente, uma cantada coerente
Com o seu consentimento, eu cai pra dentro
Dando uma de insistente, eu tentei, eu tentei e te conquistei

4X I need you my darling

Pegou a bolsa, pra ir embora. Não sabia se ia voltar
Gata, não tenha medo… espera a hora que ela vai chegar
Sou esperto te roubo um beijo, aviso que vai se atrasar..
Irresponsável, eu sou mesmo… Pelo menos sei amar
2X Sei amar

4X INTRO (SOLO)
4X I need you my darling

Tira roupa and kiss me baby, I want rock.n.roll now
6X I need you my darling

Brazil SA – Nosso país, um dia foi o do futebol

7 de março de 2014
Nando Pax

Depois da derrota do Brasil para Honduras em 2001, fomos eliminados da Copa América e o povo brasileiro ficou decepcionado. Era destaque na mídia a postura dos jogadores. Ganhavam milhões, mas haviam perdido a garra e a força da seleção Brasileira. Não tinham mais o mesmo amor a camisa das gerações do “futebol arte”. Definitivamente, o nosso país não era mais o país do futebol. Hoje, não parece muito diferente.

Quando fiz a música na época levei-a para meu amigo e parceiro de outras composições, Leonardo Braidotti que complementou-a com as frases “Vou levando mesmo assim” e “Tem mulher, tem violão”…

Várias vezes já cogitei em mudar a letra, para dar um tom mais positivo. Quem sabe quando for a hora. Disseram que essa música tem um Q do “Gilherme Arantes”. Será? Como ficaria na sua interpretação?

Até a próxima composição.
Nando Pax

BRAZIL S.A.
Letra: Nando Pax e Leonardo Braidotti
Arranjo, Violão e Vozes: Nando Pax
Tom: Bm

[ PARTE I

Bm                D9     Bm A9         Bm D9 Bm A9 
O que eu não penso,           em fazer.
Bm    D9   Bm A9            Bm D9                      Bm              A9
Está longe       de acontecer,        (Vou levando mesmo assim...)

G          Em      F#
Quanto maior o sonho
G                 Em        F#   
Tão grande será a insatisfação
G            Em    F#
Quanto maior o tombo, 
                    Bm     D9            Bm               A9 
Pior fica a situação...   (Vou levando mesmo assim...)

[ REFRÃO

Bm A9 O nosso país um dia foi o do futebol. G Em F# Mas o ano inteiro faça chuva, ou faça sol, Bm D9 Bm A9 Bm D9 Tem carnaval, (outro não tem igual...)
Bm A9 O nosso país um dia foi o do futebol. G Em F# Mas o ano inteiro faça chuva, ou faça sol, Bm D9 Bm A9 Bm D9 G Em F# Tem carnaval, (tem mulher tem violão...) [ REPETE REFRÃO Bm D9 Bm A9 Corremos todo dia, Mesmo que não haja alegria. Bm D9 Bm A9 Enquanto o mundo gira, E o maluco pira... G Em F# Você está pensando, onde eu quero chegar. Bm D9 Bm A9 (Vou levando mesmo assim...) [ REPETE REFRÃO
Solo (Bm A9 Bm A9 G Em F#)
Bm D9 Bm A9 Bm Cm# O nosso país um dia foi o do futebol. D/E Em F# Mas o ano inteiro faça chuva, ou faça sol, Bm D9 Bm A9 Bm D9 Tem carnaval, (tem mulher tem violão...) Bm A9 O nosso país um dia foi o do futebol. G Em F# Mas o ano inteiro faça chuva, ou faça sol, Bm D9 Bm A9 Bm D9 G Em F# Tem carnaval, (tem mulher tem violão...)

Quer gravar esta música? Envie um e-mail para [email protected] ou comente deixando seus dados para contato.

Viajante do Espaço

24 de fevereiro de 2014
Nando Pax

No fim de 2011, minha busca pelo desconhecido me levou a caminhos não convencionais. Vivi uma sensação intensa de felicidade por ter encontrado mais sentido para minha vida. Em uma noite qualquer, terminei o trabalho e senti uma vontade muito grande de compor. 30 minutos depois estava pronta essa letra que foi sendo lapidada com o tempo.

Gravei uma guia e enviei para o Maestro Carlos Ranoya que produziu o arranjo ainda em 2011. Gravei a voz em 2012 no estúdio em casa, e confesso que não fiquei muito satisfeito com a interpretação. Porém, recentemente decidi deixar um pouco de lado a busca pela perfeição e resolvi deixar rolar para ver o que acontece.

Trata de um tema considerado piada por muitos, mas para mim uma realidade indiscutível. A humanidade, atualmente escravizada, precisa de uma guinada, tecnologia que vem do céu… Que este canto se torne um mantra para nos ajudar na difícil missão de libertar nossos próprios gênios e que estejamos prontos para receber nossos amigos do espaço.

Durante um tempo, fiz alguns contatos para mostrar a música para Nando Reis, Fernanda Takai, Pitty para que participassem do projeto “HOPE FOR XINGÚ”, em português “Esperança para o Xingú”. Basicamente, seria a gravação de um vídeo clipe onde uma pequena índia pede aos céus que sua tribo não seja destruída pela construção da Usina Belo Monte, então o “Viajante do Espaço” que seria interpretado pelo Caine (do Caine’s Arcade) escuta o chamado e traz pra terra uma tecnologia que evita a construção da usina.

Este projeto ainda não aconteceu por falta de recursos, mas espero que algum dia algum possa ser rodado. Quem sabe se você não pode me ajudar?

Escute no SoundCloud:

ISRC: BR-PDZ-14-00003


LETRA
Grande mestre,
Atenda o meu pedido,
A tribo está perdida,
Renove nossa fé…

Mande o viajante do espaço
Por o pé na estrada
E na bagagem fadas
Disfarçadas de mulher

Que por onde passam
Lançam seu encanto
Multiplicam nosso bando
Compartilhando doce mel

Fonte de alimento
De Néctar sagrado
Santo graal dourado
Uma escada para o céu

REFRÃO
Pra conhecer um ser supremo
Reconhecer somos pequenos
E libertar o seu próprio gênio
Poder voar, poder voar, poder voar… Ah ah aahhh

PARTE II
Seres luminosos
Das alianças galácticas
Salvem nossa pátria
Nos digam como é

Povo das estrelas
Dos mundos mais distantes
Nos levem adiante
Muito além do sol

Recitem este canto
Pelos quatro cantos
Ele traz acalanto
Dá força elemental

É conhecimento
Que vem da eternidade
Da pura sinceridade
Experiência transcendental.

REFRÃO
Pra conhecer um ser supremo
Reconhecer somos pequenos
E libertar o seu próprio gênio
Poder voar, poder voar, poder voar… Ah ah aahhh

PARTE III
Se a vida, fez sentindo
Este é o seu compromisso
Chega de comodismo
Vem junto comigo
Vem voar, vem voar, vem voar…

Quando a hora chegar
Ninguém sabe quando será
Onde você vai estar
Onde nos vamos estar
A um passo do paraíso


Ficha Técnica
Letra, melodia e voz por Nando Pax
Produção e arranjo por Maestro Carlos Ranoya
Violão por Rogério Taliba
Produção Executiva por Produlz.com

Pobre de Marré Marré

16 de fevereiro de 2014
Nando Pax

Morei por alguns meses na Reserva Ecológica Vale do Bugio e nesse lugar maravilhoso tive a inspiração para criar a base desse som. No começo saiu apenas a frase “Pobre de marré marré, todo mundo é”.

Passaram alguns meses e não pude ignorar os comentários nas redes sociais, sobre um rapaz que havia sido acorrentado no poste. Em uma conversa com o Bruno Bock, ele me pediu para escrever alguma coisa sobre o tema e aquela base, veio bem a calhar.

Sou um admirador da Raquel Sherazard pelo teor realista de suas opiniões, que vai além do seu papel como jornalista, porém nesta ocasião ela foi infeliz e recomendou que “adotássemos um bandido”. Meio reacionário, não?

Escute no soundcloud:

Letra
Pobre de marré marré, humano ele é
Pobre de marré marré, justiça ele quer

Preto rico, Branco Pobre
A desigualdade na cidade explode
Justiceiros fortemente armados
Criminosos acima do estado
Usar a força, contra o mais fraco
Não é justiça, está errado

Bandido que julga ladrão
Injusta solução
Quem faz justiça com as próprias mãos
Piora a situação
Não Não Não

E a repórter reaça
Acha lindo e faz graça
Imagina na copa
Um estádio, menos mil escolas
O Porto em Cuba, a grana nossa!
O Pão e circo ainda é moda

Pobre de marré marré, humano ele é
Pobre de marré marré, justiça ele quer

Menor de idade foi condenado
sem direito a defesa, marginalizado
Por quinze motos foi cercado
Como um animal no poste acorrentado,
A cidadania foi aniquilada
A violência não resolve nada

Não adote um bandido não
Dê a ele uma lição
O verdadeiro cidadão
precisa só de educação
Seria tão bom

E a repórter reaça
Acha lindo e faz graça
Imagina na copa
Um estádio, menos mil escolas
O Porto em Cuba, a grana nossa!
O Pão e circo ainda é moda


Ficha Técnica
ISRC: BR-PDZ-14-00002

Letra, violão, Voz, produção, mixagem e Masterização por Nando Pax
Guitarra Solo por Samuel Costa
Contra-baixo por Peter Carcavalho
Back-vocal por Lucidéli Barbosa
Produção Executiva por Produlz.com

Viagem Atípica por Nominalistas

12 de dezembro de 2013
Nando Pax

Algumas semanas atrás, Samuel Costa me mandou alguns acordes de sua versão para uma música minha. Aqueles toques diferentes da música original, me inspiraram a criar a uma nova melodia e tão logo, uma letra. Simplesmente um “como fazer para sair da matrix”. Quem conhece minhas composições, sabe que eu as vivo e dessa não foi diferente… Então pra finalizar 2013 com chave de ouro, confiram “Viagem Atípica” com Nominalistas

Confira o vídeo da gravação

// LETRA

Minha jornada pela estrada é meio atípica.
Se comparada com pessoas sem malícia.
Não acredito na política nem na polícia.
Se fui palhaço meu picadeiro foi a justiça.

E então eu me cansei.
Mandei tudo pro espaço.
Não vá dizer, que eu não avisei.
Sobre um sistema implacável.

Sua jornada também pode ser atípica.
O mundo fala uma linguagem específica.
Quem interpreta sabe o que significa.
E não se cala diante de tanta injustiça.

Dinheiro é chacota, faça tudo que gosta.
Não é nada impossível, vá viver na roça.
Venda seu carro, nade no rio pelado.
Desligue a TV pra estar preparado.

E va viver a sua vida.
Mas não faz o que o sistema te obriga
Fique em paz, saque a grana do banco.
A natureza que é rica.

E então você se cansou.
Mandou tudo pro espaço.
Quem teve coragem foi lá e fez.
Adeus sistema implacável.

Hino da Reforma Agrária e a Geração Alien

23 de maio de 2013
Nando Pax

Em maio de 2012, precisava de um advogado para resolver minha separação, quando conheci o Dr. Humberto e acabamos ficando muito amigos. Alguns meses depois, tudo resolvido, decidi montar uma banda estilo Mamonas Assassinas, que levaria o nome de Nerds Kamikaze, quando conheci Vaguinho Silvestre (guitarrista) e Nenê Silvestre (contra-baixista). Começamos a ensaiar e logo surgiram diversas músicas novas. Inicialmente, Humberto não fazia parte da banda o que só aconteceu mais tarde.

Um dia voltando de Sidrolândia / MS, avistei barracos dos Sem Terra na beira da estrada… Chegando em casa, descobri que o Vaguinho, havia participado do movimento, por 4 anos acampado, sem conseguir a terra. Escutei um pouco da sua história, peguei o violão, fiz os primeiros acordes e letra foi surgindo espontaneamente, sendo enriquecida pela sua vivência e lapidada por Nenê e Humberto.

André Rafael do lendário “AR Studios”, recebeu a demo da canção e disse para abandonarmos a ideia dos Nerds Kamikaze, pois a banda tinha um potencial de ser um “O Rappa” e assim surgiu a “Geração Alien”.

Andre_Rafael_Vale_do_BugioO QG da banda, teve que ser emergencialmente transferido para a Reserva Ecológica Vale do Bugio, que receberia André Rafael para história gravação. Porém, havia chovido a semana inteira e a estrada de acesso era precária. Resultado, o caminhão com a mudança atolou e foram 4 dias de uma verdadeira operação que envolveu a banda, mais 20 pessoas e 2 tratores.

Exaustos da viagem cansativa, as 3 da madrugada chegamos ao vale com o André e fomos fazer um som. Infelizmente, ele percebeu que não haveria condições técnicas para gravação como ele imaginava, mas disse que gostaria de produzir a música com a qualidade técnica que merecia e que Humberto deveria interpretá-la.

Um mês mais tarde, eu e o Humberto fomos ao Rio de Janeiro, para gravar no Studio 94 onde jazia o que restava dos equipamentos do AR Studios. Um time de primeira linha: André Rafael no violão, Marcelo Linhares no contra-baixo, Gláucio Ayala na Bateria, Cristiano Crochemore na guitarra, Fabrizio Iorio no acordeon e Matheus Braz na percussão.

Escute o resultado no SoundCloud:

19-grito-da-terraDe volta para casa, com o single na mão, Zefa, tia de Vaguinho, líder de alguns acampamentos ligada a CONTAG, encarregou-se de agendar uma apresentação no 19º Grito da Terra em Brasília. Eu, Humberto, Nêne, Vaguinho e Douglas Urquiza fomos de ônibus se apresentar para mais de 5000 trabalhadores sem terra.

Foi uma apresentação histórica, emocionante que tenho muito orgulho de tê-la feita com meus amigos. Espero um dia conseguir o vídeo filmado pela organização do evento.

Mais uma canção feita com muito carinho, aguardando a oportunidade de atingir o grande público.


MAJESTOSO SEM TERRA (Cifra aqui)

PARTE I
Esperando a terra chegar eu vivo
Na esperança de ter um lugar, meu canto, um abrigo
Onde nascerá tudo que preciso
Não importa se simples será
É só me dar que eu me viro

Enquanto o dia não chega
Só me resta batalhar
Sou um herói brasileiro
Que não desiste lutar
2X | Um herói brasileiro
| Que não desiste lutar

REFRÃO
Peguei a enxada, deixei a viola
Preparei a terra pro feijão de corda
Deixei a enxada, peguei a viola
A luta da terra transformei em moda

PARTE II
Tanta terra pra distribuir,
e eu aqui na beira da estrada criando raiz
Quem é que manda chuva, que assina tudo?
Mostra sua cara suja na janela, sai de cima do muro

O latifúndio é improdutivo
Mas tá demorando pra liberar.
3X | Um pedaço de chão batido
| Pra minha família poder morar

REFRÃO
Peguei a enxada, deixei a viola
Preparei a terra pro feijão de corda
Deixei a enxada, peguei a viola
A luta da terra transformei em moda

O latifúndio é improdutivo
Mas tá demorando pra liberar
2X | Um pedaço de chão batido
| Pra minha família poder morar
Um pedaço de chão batido
Onde eu possa compor…
Muitos rocks rurais

Vou falar pro presidente pra ajudar toda essa gente
Vencer, vencer, vencer


Ficha Técnica
Letra por Nando Pax, Vaguinho Silvestre, Nenê Silvestre e Humberto Chelotti
Voz por Humberto Chelotti
Contra-Baixo por Marcelo Linhares
Guitarra por Cristiano Crochemore
Acordeon por Fabrizio Iorio
Percussão por Matheus Braz
Violão por André Rafael

Produção Executiva Frodulz.com
Gravado e Mixado por Guilherme Tettamanti no Studio 94
Masterizado no Incrível Mundo por Enrico de Paoli